Wagner Ramos ‘PO​É​TICA #1 – Wagner Ramos convida Luiz Galv​ã​o para Sess​ã​o 1 no Est​ú​dio Ori’

Wagner Ramos 'PO​É​TICA #1 - Wagner Ramos convida Luiz Galv​ã​o para Sess​ã​o 1 no Est​ú​dio Ori' digital, 2023 brv#48

Wagner Ramos
‘PO​É​TICA #1 – Wagner Ramos convida Luiz Galv​ã​o para Sess​ã​o 1 no Est​ú​dio Ori’
digital, 2023
brv#48

Wagner Ramos – bateria, percussões, samplers e outros elementos eletrônicos
Luiz Galvão – guitarra
Paola Ribeiro, Ines Terra e Lucimara Nunes – voz

Gravado no Estúdio Ori /SP em Julho de 2023
Mixado e masterizado por Igor Souza no Estúdio Mitra /SP
Capa por Edson Ike
Lançado por Brava Edições no Versão de 2023


Leituras:

Ines Terra (faixas 3 e 4 ) – “A língua é matéria vibrátil”,
do livro “Uma superfície de gelo ancorada no riso”, de Hilda Hilst

“I have carved your face on my tongue and I speak you in my off-key voice”,
do livro “Like singing coming off the drums”, de Sonia Sanchez

“Silencio” de Alejandra Pizarnik

“Bitnus” de Ankoku Hikari

Paola Ribeiro (faixa 2) – “A Obsena senhora D”, de Hilda Hilst

Lucimara Nunes (faixa 1) – “Motivo”, de Cecília Meireles

 


 

Sobre ‘POÉTICAS #1

O baterista Wagner Ramos convida o guitarrista Luiz Galvão para improvisar na primeira gravação no seu estúdio, o Ori.

Foram 3 sessões em um dia, das quais saíram as 5 faixas que constam nesse álbum, após aguçada mixagem e masterização de Igor Souza, parceiro essencial ao projeto.

Às faixas Wagner adicionou gravações, também feitas no Ori, de leituras de poesias pelas artistas Paola Ribeiro e Ines Terra, e de sua companheira Lucimara Nunes.


Sobre o Estúdio Ori, por seu criador, Wagner Ramos:

Esta é a primeira sessão de gravação no estúdio Ori. A inauguração!

O Ori foi criado para ser um local de experimentações e gravações de projetos múltiplos. Muito mais que um estúdio, um espaço plural que quer unir os meus queridos amigos músicos das diferentes frentes artísticas e promover encontros sonoros diversos e únicos.

A palavra Ori, da língua iorubá, significa cabeça, lugar que abriga os Orixás, as entidades sagradas cultuadas pelo povo negro do candomblé e lugar de resistência – sintetiza meu sentimento de querer abrir as portas deste meu espaço tão especial, e casa também do meu duo Radio Diáspora, para uma produção cultural identitária, que está no cerne do meu trabalho artístico.

Esta é a primeira sessão, que muitas outras gravações como essa possam acontecer!

Wagner Ramos

Baterista afro-brasileiro, desenvolveu-se artisticamente na relação profunda com a música negra em suas diversas formas – Rap, Jazz, Soul, Samba.

saiba +